sexta-feira, 15 de janeiro de 2016
Tamanho da fonte A+ A-

Futebol Profissional

Trabalho individualizado

Atletas passam por diversas avaliações para aprimorar preparação

O Nova Iguaçu está se preparando com o que há de melhor para fazer uma boa pré-temporada e chegar pronto para disputar a Série B do Campeonato Carioca. Na primeira semana de treinamentos, os jogadores do Orgulho da Baixada passaram por diversas avaliações com o intuito de obter parâmetros individuais e otimizar os trabalhos para cada grupo de atletas.

Desde terça-feira, quando o elenco se reapresentou, os jogadores passaram por avaliações de composição corporal, resistência aeróbica, capacidade cardiorrespiratória, frequência cardíaca máxima, velocidade limiar, entre outros… Na quinta-feira, os atletas também passaram por testes de impulsão vertical, com auxílio do aparelho Optojump.

Schwenck e Cleyton fazem testes de impulsão: lateral teve o melhor resultado (FOTOS: Bernardo Gleizer/NIFC)

- Costumamos chamar de semana de controle, ou semana de avaliação morfofuncional. Conseguimos avaliar a princípio o genótipo e o fenótipo dos atletas, o que ele já carrega geneticamente e o que ele vinha fazendo durante as férias. Serve para identificar nos atletas qual a real necessidade de cada um. Hoje, no futebol, trabalhamos muito com especificidade, por isso a importância dessas avaliações – explica o fisiologista Uélbio Bezerra.

Os jogadores do Nova Iguaçu realizaram também testes de potência, velocidade máxima e resistência de velocidade com auxílio dos aparelhos de fotocélula, adquiridos no ano passado. Este ano, o clube adquiriu mais equipamentos para dar uma melhor estrutura ao departamento de fisiologia e melhores condições de trabalho aos preparadores físicos.

Soccer test mediu a velocidade limiar e a frequência cardíaca máxima dos atletas (FOTO: Bernardo Gleizer/NIFC)

- Em cada teste você consegue analisar uma gama de características dos jogadores e direciona de forma muito mais específica o treinamento. Enxerga-se a necessidade, as carências e as qualidades de cada atleta. Se você não tem essas avaliações específicas, é como se estivesse trabalhando de olhos vendados. Sem elas, você pode até trabalhar as capacidades físicas, mas não tem referências do que precisa melhorar, do que não precisa trabalhar tanto… – ressalta o preparador físico Sandro Graham.

Muitos dos resultados destes testes já foram utilizados ao longo da semana nos trabalhos físicos. O elenco já foi dividido em grupos de jogadores com a mesma carga necessária de força e resistência, como explica Uélbio.

- Esses testes já deram alguns parâmetros para o trabalho do preparador físico, por exemplo. Na quarta-feira mesmo já fizemos um trabalho físico com base nos dados que colhemos na terça-feira. O teste da potência vertical, em que nós medimos a estatura potencial, já dá alguns parâmetros para o Edson (Souza, técnico) na hora de ver quem vai ser o homem da primeira bola, da segunda… – completou o fisiologista.

No primeiro dia, fisiologia tirou medidas importantes dos jogadores (FOTOS: Bernardo Gleizer/NIFC)

Com investimento em infraestrutura e equipamentos e o sólido trabalho da comissão técnica recém-montada, o Nova Iguaçu terá cerca de 50 dias até a estreia na Série B do Campeonato Carioca, contra o Goytacaz, dia 5 de março, no Estádio Laranjão.

Bernardo Gleizer