segunda-feira, 01 de setembro de 2014
Tamanho da fonte A+ A-

Comunidade NIFC

Rugindo mais alto

Nova mascote do Nova Iguaçu é lançada mostrando nova fase do Orgulho da Baixada

A pantera representa a luta do clube e de toda a comunidade da Baixada Fluminense

O Nova Iguaçu tem uma nova mascote. Quem foi ao Laranjão na última quarta-feira assistir ao duelo contra o Volta Redonda pela Copa Rio já pôde conferir de perto. A pantera que está no escudo ganhou uma nova cara e se transformou na nova mascote, mostrando a maturidade do Orgulho da Baixada. Uma pantera que vai rugir mais alto e impor respeito e que simboliza a luta do clube e de toda a comunidade da Baixada Fluminense.

- A mascote representa a personificação da garra de um clube que nasceu de um sonho dos seus idealizadores, sem investimentos expressivos e diante de enormes desafios para crescer num ambiente de difícil gestão, e que se tornou uma realidade no cenário nacional. Essa garra, força e vontade de vencer representam principalmente o dia a dia do povo da Baixada – explica o diretor de marketing do NIFC, Luiz Mauro SantAnna.

A mascote está estampada nos novos painéis localizados atrás do gol à direita da arquibancada principal do Estádio Laranjão. Lá foram inseridas as imagens de todas as categorias do Nova Iguaçu, desde o sub-10 até o juniores. O Laranjinha, símbolo da Escola de Futebol do Clube, está no início dessa linha do tempo, e a Pantera está no final, mais próximo à torcida da casa.

- A ideia foi mostrar a evolução do nosso trabalho de formação. Logo no início, o Laranjinha mostra o fruto da terra, quando a criança está começando o trabalho. E a pantera surge no momento certo, hoje no futebol a concorrência é muito grande, mas demos uma demonstração de competência e essa nova mascote vai de encontro com a nossa evolução em termos de trabalho e resultados no profissional – afirmou o presidente Jânio Moraes.

Novos painéis foram instalados no Laranjão mostrando todas as categorias de base (FOTO: Bernardo Gleizer/NIFC)

Abaixo, o diretor de marketing Luiz Mauro SantAnna explica um pouco mais sobre a nova mascote do Nova Iguaçu.

O que representa essa nova mascote?
Luiz Mauro SantAnna:
A mascote representa a personificação da garra de um clube que nasceu de um sonho dos seus idealizadores, sem investimentos expressivos e diante de enormes desafios para crescer num ambiente de difícil gestão, e que se tornou uma realidade no cenário desportivo nacional. Esta garra, força e vontade de vencer representam principalmente o dia a dia do povo da Baixada Fluminense, cuja história é pautada por enfrentar e superar as adversidades da vida.

Por que a nova mascote foi lançada apenas agora?
LMS:
A pantera sempre existiu, ela faz parte da primeira versão do escudo do clube criada pelos fundadores. Quando fizemos uma proposta de redesenho do escudo, em 2005, valorizamos os símbolos do clube, que são a pantera e a laranja. Esta mudança permitiu um melhor alinhamento da imagem do NIFC com o seu mercado potencial. O resultado desta aposta depois se evidenciou positivamente nas receitas de marketing e na presença em mídia espontânea. Naquele momento, o NIFC não havia subido para a Primeira Divisão do Campeonato Carioca. Entretanto, o clube já era conhecido por seu trabalho na formação de base de jogadores e pelo projeto social. Percebemos na época a necessidade de criarmos uma mascote que simbolizasse estes aspectos, que aproximasse as crianças, que aumentasse a credibilidade do clube junto aos pais. Daí, surgiu o Laranjinha, que logo teve uma ótima aceitação pela comunidade iguaçuana e representa até hoje a Escola de Futebol, com mais de 450 crianças na sede e 100 núcleos de futebol. A nova mascote foi criada para para atender uma outra demanda, que naturalmente se desenvolveu, que é um desejo do clube e, principalmente, da torcida de ter um símbolo de força que represente o futebol profissional. Esperamos também obter uma boa aceitação com ele.

A Pantera substitui o Laranjinha?
LMS:
Não, de forma alguma. O Nova Iguaçu é um clube que pensa diferente. Não por achar que pode ser melhor do que qualquer instituição, mas devido a toda sua história de vida e visão de futuro. Nas dependências do NIFC, chegam a circular em fins de semana cerca de duas mil pessoas. Pela manhã, a grande maioria é de crianças, acompanhadas de seus familiares, em busca do sonho de se tornarem jogadores de futebol. Já à tarde, em seu estádio, o NIFC recebe sua torcida para assistir aos jogos do futebol profissional em competições. A pantera é agora a mascote oficial do clube. Representa a luta do clube e de sua comunidade. O Laranjinha é o embaixador do NIFC junto às crianças e instituições e cumpre seu papel social de extrema importância para o clube.

Bernardo Gleizer/NIFC