segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014
Tamanho da fonte A+ A-

Futebol Profissional

Parceria que dá frutos

Carlos Vitor substitui Edson Souza no banco contra o Macaé e elogia desempenho do Nova Iguaçu

O Nova Iguaçu teve uma novidade no banco de reservas na partida contra o Macaé, no último sábado, no Estádio Cláudio Moacyr. Sem poder contar com o técnico Edson Souza, que foi punido com um jogo de suspensão pelo TJD-RJ, quem comandou a equipe à beira do gramado foi o auxiliar Carlos Vitor. A Laranja da Baixada jogou bem, mas ficou no empate sem gols.

Técnico campeão do Torneio Octávio Pinto Guimarães de Juniores pelo NIFC em 2010, Carlos Vitor tem um trabalho de muita parceria com Edson Souza. Durante os treinos técnicos e táticos, não é raro ver cada um comandando uma atividade diferente ao mesmo tempo, sempre trocando informações. Por isso, Carlos Vitor sentiu-se seguro para assumir a função em Macaé.

- A equipe me recebeu bem, entendeu a situação. Ficou comprovado que o trabalho é feito com muita unidade. Ficamos felizes pelo respeito dos atletas com nosso trabalho. Em qualquer segmento profissional, se não tiver confiança e respeito, as coisas não funcionam. E graças a Deus correu tudo bem – afirmou Carlos Vitor.

Carlos Vitor esteve à beira do gramado no jogo contra o Macaé (FOTO: Bernardo Gleizer/NIFC)

Cal, como é conhecido dentro do Nova Iguaçu, fez elogios à atuação da equipe no duelo contra o Macaé e acredita que faltou um pouco de sorte para que o time voltasse para a Baixada com três pontos. O NIFC está na quinta colocação do Campeonato Carioca, com 13 pontos, dois apenas atrás da zona de classificação para as semifinais.

- A equipe se portou bem, as coisas se encaixaram e o time está bem em termos de desenvolvimento e compactação. Sabíamos que seria um jogo difícil, mas o grupo está muito concentrado, equilibrado e bem treinado. Faltou um pouco de sorte. E em determinados momentos fizemos boas jogadas de lado de campo e faltou aquele pezinho para colocar a bola para dentro – avaliou.