sexta-feira, 11 de outubro de 2013
Tamanho da fonte A+ A-

Futebol Profissional

Entrou e decidiu

Após ajudar equipe de juniores no Torneio OPG, Palagar é chamado para os profissionais e decide contra o Resende na Copa Rio

Palagar fez o gol da vitória sobre o Resende na última quarta-feira no Laranjão (FOTO: Bernardo Gleizer/NIFC)

O bom trabalho de integração nas categorias de base do Nova Iguaçu mais uma vez ajudou. Autor do gol da vitória sobre o Resende por 1 a 0 na última quarta-feira, que colocou o NIFC na briga direta por uma vaga na segunda fase da Copa Rio, Palagar estava integrando a equipe de juniores que disputa o Torneio Octávio Pinto Guimarães.

Depois de ser promovido à equipe de cima para a disputa da Série D do Brasileiro, Palagar acabou retornando para o time sub-20 na disputa do OPG e, inclusive, fez um gol na vitória por 3 a 1 sobre a Portuguesa no último domingo na Ilha do Governador. Chamado de última hora para integrar a equipe que iria enfrentar o Resende pela Copa Rio, Palagar entrou no segundo tempo e decidiu.

- Não tenho nem palavras para descrever essa sensação. É maravilhoso poder decidir uma partida, mas a equipe toda teve méritos, como o Lukian, que me deu o passe. Todos se destacaram, brigaram até o fim e não desistiram. Desci para jogar o OPG, mas acho que o professor (Edson Souza) gostou e me deu uma oportunidade. Quando ele me colocou no jogo, me disse que iria fazer o que o coração dele estava pedindo. E acabou dando certo – afirmou Palagar.

Palagar dribla o goleiro da Portuguesa: atacante defendeu a equipe de juniores domingo (FOTO: Bernardo Gleizer/NIFC)

No clube desde 2011, o atacante tem faro de gol. Em dois jogos pelos profissionais, foram dois gols – o outro foi marcado contra o Araxá (MG), na última rodada da primeira fase da Série D do Brasileirão. Na base, fez 13 gols nos dois últimos Estaduais. Fã de Fred, atacante do Fluminense e da Seleção, Palagar agradeceu o apoio dos jogadores da equipe de juniores que estiveram nas arquibancadas do Laranjão para apoiar os atletas que integravam até pouco tempo o time sub-20, como o volante Carlos Henrique e os laterais Lucas e Yan.

- Quando vi a rapaziada ali nem acreditei, eles treinaram forte pela manhã e era para eu estar treinando com eles, mas de repente o professor Edson me chamou para ir para o jogo. Estou muito feliz, dediquei o gol à minha família, mas também tenho que dedicar para a rapaziada dos juniores que me deu esse apoio – concluiu o atacante, de 20 anos.