segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013
Tamanho da fonte A+ A-

Futebol Profissional

Força para Dieguinho

Apoiador recebe mensagens de apoio e carinho do grupo após perder pênalti contra o Resende, o que mostra a união do elenco

Dieguinho em ação contra o Resende: meia teve personalidade para bater o pênalti no fim do jogo

É das derrotas que aprendemos as lições mais importantes, dizem os mais sábios. Ou do empate, no caso. Depois de perder o pênalti no fim do jogo contra o Resende, que poderia determinar a vitória do Nova Iguaçu no último sábado, no Laranjão, o apoiador Dieguinho ficou abalado, mas logo recebeu a força dos companheiros de elenco ainda nos vestiários do estádio.

Apesar dos 22 anos, o camisa 10 do Nova Iguaçu chamou para si a responsabilidade de cobrar o pênalti sofrido por Marcelinho, aos 42 minutos do segundo tempo. Mas, infelizmente, o jogador colocou força de mais na bola e acertou o travessão, quando o placar marcava 2 a 2. Um dos mais experientes do elenco, o volante Léo Salino contou como foi o papo no vestiário.

- Ele teve a infelicidade de errar, mas futebol é assim mesmo, só erra quem bate. Com certeza ele está chateado, como todo o grupo, mas demos força a ele no vestiário para levantar a cabeça. Temos 20 dias agora para trabalhar e fazer um bom segundo turno, estrear fora de casa e buscar uma vaga na semifinal – projetou o cabeça-de-área.

O técnico Leonardo Condé acredita que o pênalti perdido por Dieguinho e as mensagens de apoio ao jogador servirão para unir ainda mais o elenco e ajudar o grupo na busca por uma melhor campanha na Taça Rio, que só começa no dia 16 de março para o Nova Iguaçu, quando enfrentará o Friburguense em Nova Friburgo.

- O grupo está dando força para ele, tenho certeza de que não vão jogar nas costas dele a razão de não ter vencido o jogo, porque não foi isso. O importante é que temos força e consciência do que estamos fazendo, e esse caso do Dieguinho não vai afetar em nada, muito pelo contrário. Vamos usar isso como mais uma ferramenta para acrescentar ainda mais à união do grupo – afirmou o treinador, eximindo Dieguinho de culpa pelo empate em casa.

- Nosso grupo é o motivo pelo qual eu tenho a confiança e a convicção de que vamos sair desse momento difícil, o grupo é muito unido. Isso faz parte do futebol. Falei para o Dieguinho que atletas consagrados como Zico, Platini e Baggio perderam pênaltis assim, isso faz parte. Ele deu azar, teve personalidade, é o batedor nesse momento, mas a bola bateu no travessão – concluiu.