quinta-feira, 07 de junho de 2012
Tamanho da fonte A+ A-

Categoria de Base

Observação para aprimorar

Por trás do campo-e-bola está o trabalho de observação dos jogadores da base, comandado por Uélbio Bezerra

Uélbio faz as anotações na sua prancheta durante jogo no CT

Além da grande e funcional estrutura física, o Nova Iguaçu também tem vários profissionais ajudando no exitoso trabalho de formação de talentos. Por trás do campo-e-bola está um interessante e inédito trabalho de observação dos atletas de todas as categorias, desde o fraldinha até os juniores.

Esse trabalho é comandado por Uélbio Bezerra, coordenador de preparação física da base do Nova Iguaçu e no clube há oito anos. Durante os jogos das divisões de base, ele faz diversas anotações sobre o comportamento dos jogadores, desde quando eles se apresentam para os jogos, passando pelo desempenho em campo até a volta para a casa. Tudo é repassado depois ao vice de futebol Vitor Lima.

- Analisamos tudo. Desde a questão física, como se o atleta está tendo cãimbras, se aguentou o jogo todo, etc, até como ele chegou ao clube, se veio com a camisa certa, o short, se chegou no horário certo, passando por questões disciplinares, como se ele reclamou muito com o árbitro ou praticou alguma jogada mais perigosa. Esse trabalho é muito importante para a formação dos jogadores – explica Uélbio.

A ideia do relatório foi do presidente do clube, Jânio Moraes. Nele, são preenchidos duas folhas. A primeira é o Relatório Geral, na qual são analisados planejamento/logística, aspecto disciplar e um espaço para o parecer final. Na segunda é o Relatório Específico, com a Análise Funcional, dividido em Fundamentação Tática, Fundamentação Técnica, Aspectos Físicos e Disciplina/Postura.

- Esse relatório é uma crítica construtiva. O que anotamos é para a construção do jogador, é tudo para o bem deles, inclusive porque eles recebem esse feedback nosso. Além disso, podemos também observar jogadores do time adversário para um possível investimento – afirma Uélbio.